Escrevendo um livro digital como entrega contínua parte 2

Standard

Nesse artigo pretendo continuar a compartilhar um pouco da minha experiência de escrever um livro digital. Esse é o segundo artigo da série. O primeiro segue aqui.

Escolhendo a plataforma

Agora que já sabemos qual nosso assunto, foco e público alvo, só nos basta começar a escrever. E nesse momento você deve estar se perguntando qual melhor forma de fazer isso.

download-3

Eu não fiz uma pesquisa muito rebuscada sobre isso e acabei usando o primeiro que me foi apresentado. O leanpub é uma plataforma fantástica! Ela tem tudo que eu preciso e talvez você devesse dar uma chance a ela. Segue abaixo as coisas que acho bem relevante nela:

  • Você escreve em markdown e ela gera seus livros em PDF, Mobi (Formato pra Kindle) e ePub (Formato para maioria dos e-readers),
  • Ela pode exibir seus livros online na plataforma,
  • Você pode monetizar seus livros no Leanpub (você informa valor mínimo de contribuiçao, que pode ser zero), ele cobra uma porcentagem por cada “compra” e eu resgato o dinheiro usando paypal,
  • Você pode integrar com o Dropbox e Github para atualizar os arquivos markdown que serão usados para gerar seus livros,

Falando um pouco melhor sobre integração do Leanpub, eu gostei muito da possibilidade de manter meu livro no github. Isso pra mim foi crucial para eu de fato abrir o “código” do meu livro de forma mais fácil, ou seja, caso você deseje escrever um artigo novo no meu livro basta fazer um fork, atualizar e me mandar um PR no meu repositório.

Quando me cadastrei no Leanpub, ainda era de graça, mas hoje é um custo único de $99,00 por livro, que você paga no momento da criação do mesmo. Eu ainda acho que vale a pena, pois até o momento já arrecadei aproximadamente $500.

O Leanpub mantém o email das pessoas que baixam seu livro, ou seja, a cada vez que você atualizar o conteúdo eles podem ser notificados para baixar a versão mais nova e você pode inclusive informar no “Release Notes” o que tem de novidade nessa nova versão.

Resumindo, o leanpub pra mim tem sido uma ferramenta completa pra lidar com lançamento do meu livro.

Como opção gratuita ao Leanpub, temos o Papyrus:

screen-shot-2016-12-02-at-7-33-25-pm

Depois que descobri que o Leanpub se tornou pago, procurei uma opção sem custos e encontrei essa, mas ainda não utilizei para dar um bom feedback.

Caso você tenha usado o Papyrus e quiser nos ajudar, comente nesse artigo.

Porque meu livro é livre e pode ser baixado de graça

Quando comecei a escrever, pensei bastante sobre conhecimento aberto, preço do material e afins. Como falei no primeiro artigo, eu fiz de uma forma que não impactou exageradamente meu tempo livre e assim essa pressão por monetizar esse tempo gasto foi menor em mim.

Eu sei que nos trabalhadores vendemos a fatia do nosso tempo para viver nessa sociedade capitalista, mas quebrar essa lógica sempre que possível é um desafio gostoso que eu sempre que posso tentarei.

Me ajudou saber que nenhum dos escritores que escrevem livros técnicos ganharam dinheiro o suficiente para deixá-los “ricos”, mesmo aqueles que dedicaram bastante tempo diário, que poderia estar com suas crianças, pessoas companheiras, amigas e afins. Caso o dinheiro fosse grande o suficiente ele poderia viabilizar a “compra” de tempo no futuro, mas se nem isso é válido, qual motivo real de cobrar por livros digitais?

Alguns escritores me falaram que acham injusto pessoas que podem pagar não fazerem isso, mas meu contraponto é que pessoas que não podem pagar simplesmente não tem acesso aos livros pagos e o pior, as licenças proíbem compartilhamento para grupos de estudo, projetos em movimentos sociais e afins.

O meu maior objetivo na escrita do livro era compartilhar o que sei e me estabelecer como referência técnica no assunto. Qual melhor forma de fazer isso senão permitindo que meu livro circule da forma mais fácil e rápida possível?

Caso meu livro fosse completamente fechado eu fatalmente acabaria gastando uma boa fatia desse dinheiro obtido para impulsionar ele nas redes sociais e propaganda em sites. Sem contar que a maioria das pessoas que pensasse na possibilidade de escrever sobre meu livro, pensariam duas vezes, pois eles achariam que estaria colaborando financeiramente com alguém e não estaria ganhando nada em retorno. Infelizmente é assim que somos construídos para pensar no contexto dessa sociedade que “gira em torno” do dinheiro.

Porque eu permito que as pessoas ganhem dinheiro com meu livro

Um outro assunto polêmico é viabilizar na sua licença que ele possa ser usado comercialmente, ou seja, agora meu livro pode ser usado como base para um curso e o livro até ser usado como material didático, por exemplo. Tudo isso pode ser comercializado sem nenhum problema. Só tenho duas ressalvas:

  • A licença não pode ser modificada, ou seja, caso use meu livro, o que você modificou, adicionou ou afins deve ser liberado ainda livre,
  • Você deve mencionar que se baseou no meu material, citando eu como autor.

Eu faço isso por um motivo simples: As empresas que eu me incomodariam de usar meu material normalmente fazem isso mesmo em produtos fechados, pois eles tem força o suficiente para fazer isso sem sofrer consequências suficientes para incomodá-los. Sendo assim eu preferir que pessoas que precisam obter uma granam o façam comercializando meu livro.

Comercializar meu livro reforça a ideia que eu quero que mais pessoas tenham acesso a ele. Já pensou que massa seria alguém imprimir várias cópias do meu livro e lançar ele numa feira do livro no interior do Paraná? Eu nunca chegaria lá, mas uma pessoa motivada por ganhos financeiros fez isso e me ajudou bastante. Agora sou conhecido no interior do Paraná!

Possibilitar a comercialização é viabilizar que mais pessoas ajudem no projeto, pois sabem que poderão usar esse material para seu curso técnico, aula na faculdade ou afins, sem que isso inflija de alguma forma nenhuma lei. Não que infligir lei seja um problema para algumas pessoas (eu incluso), mas o ponto aqui é permitir e não negar.